O trabalho com Divinos surgiu na minha vida como uma proposta de diálogo entre a arte e a religiosidade vivenciada a partir da minha mudança, em 2009, para Tiradentes. Foi no contato com a sucata de ferro e outros materiais que descobri meu caminho e minha forma. Na criação, procuro não interferir nas peças encontradas, ressignificando-as através de uma composição harmoniosa. Neste trabalho, a criatividade aflora de maneira suave, simples e sutil, resultando numa arte singular.